As grutas do Planalto de Sto. António


O Planalto de Sto. António está entalado entre as Serras de Aire e Candeeiros, constituindo uma vasta área do Maciço Calcário Estremenho (MCE) e que tanto trabalho tem merecido por parte da comunidade espeleológica. O objectivo desta página é ir divulgando informação sobre as grutas do Planalto, sejam topografias, coordenadas, informação de geologia, biologia à medida que for sendo tornada disponível.
Já agora uma pergunta, de acordo com a reduzida informação disponível, a maior parte do Planalto drena para a nascente do Alviela. Ora se a grande maioria das nascentes do MCE tem além das galerias activas, galerias na zona vadosa, veja-se o caso por exemplo da nascente do Almonda onde estão as galerias da zona vadosa da gruta da nascente do Alviela? Supomos que é ir à procura delas.

Para arrancar com esta página começamos com a topografia de uma “clássica” o algar da Cheira. A topografia foi realizada durante o último curso de nível II de 2011 da AES e do GEM, os trabalhos de campo foram levados a cabo, sob supervisão, pelos instruendos e o Vitor Amendoeira (GEM) desenhou a Topografia.
Do ponto de vista da geologia o “algar da Cheira” é uma galeria de origem freática, actualmente na zona vadosa inactiva. A gruta encontra-se no estado fóssil com abundantes abatimentos  e muitas concreções. O “poço” de entrada resultou de um destes abatimentos. O tecto apresenta algumas zonas sub-horizontais devido aos abatimentos do tecto ocorrerem preferencialmente a partir das superfícies de estratificação que tal como as camadas estão sub-horizontais.  As paredes da gruta ainda apresentam  zonas com formas arredondadas a fazer lembrar a origem da galeria por corrosão das águas de circulação. O controlo estrutural não é evidente, apenas no poço de entrada é clara a presença de uma fractura de atitude aproximada N20E/Vertical. A direcção geral de desenvolvimento da gruta NW-SE sugere  que deverá estar presente algum tipo de controlo estrutural. Recorde-se que segundo a Folha 27-A Vila Nova de Ourém da Carta Geológica de Portugal, a atitude regional das camadas é aproximadamente NW-SE/10S.

Topografia do Algar da Cheira

Esperemos que se sigam mais grutas


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: