Para Além do Parque – Muito trabalhinho…..


 “A sombra é maior que a luz sempre que rejeitares o que te seduz”

19ª Saída.

28,29 Dezembro 2014                                                       Reguengo do Fetal, Batalha.

                                                                                       Serro Ventoso, Porto de Mós.

Desobstrução algar do Cabeço Rebelo.

Exploração e topografia da Lapa da Pedreira.

Exploração e topografia do Algar do Caramulo.

Verificação do nível de água no Buraco Roto.

Desobstrução e topografia no Algar do Renhal.

Elementos presentes: Hélio Frade, André Reis, José Ribeiro, Miguel Ribeiro, Alexandre Leal (G.E.M.), Alexandra Leal (G.E.M.), Rodrigo Leal (G.E.M.), Florbela Silva (G.E.M), Bruno Pais (G.E.M.), Samuel Lopes (G.E.M.-WIN), Paulo Rodrigues (A.E.S.).

Dia 28

Encontramo-nos em Fátima na Gare dos autocarros as 10h, beijos e abraços cafezinho e siga para o Reguengo do Fetal. O tempo prometia, frio e nevoeiro, mas não nos desmotivamos e dividimo-nos em 3 equipes. André e Picatchu seguiram para o Algar da encosta para continuarem a desobstrução já ali iniciada. Mafarrico e Alexandre equiparem e explorarem o Algar do Caramulo.

A entrada do Algar do Caramulo.

A entrada do Algar do Caramulo.

Chouriço, Bruno, Alexandra, Miguel e Rodrigo, explorarem e topografarem a Gruta da Pedreira. Esta de pequenas dimensões, requereu uma pequena desobstrução mas de pouco desenvolvimento, depressa se topografou.

Aspeto do interior da Lapa.

Aspeto do interior da Gruta.

Após o trabalho concluído seguiram para o Caramulo para também fazer a topografia.

Em trabalho!!!

Em trabalho!!!

São ocos de pequenas dimensões mas que comunicam entre si, comprovado pelo André e Picatchu, que na Lapa da Pedreira colocaram um pouco de “serralha” a arder e saiu fumo no Caramulo, mas humanamente é impossível, para já, hihihihihihi, hihihihihihi.

Estava quase....

Estava quase….

Os gaiatos ficaram mesmo ali perto do carro a brincar enquanto os graúdos seguiam com o seu trabalho, as 14.30h tínhamos ali os trabalhos terminados, encontramos o Picatchu e André que já estavam de saída do Algar da encosta, tendo terminado ali por hora a sua desobstrução, mas ao que tudo indica promete, mais uma!!!!

Seguimos para o Reguengo onde petiscamos ali nos bancos do jardim um belo almoço, houve muita variedade e quantidade, bebemos o café para arrebitar e seguimos para o Buraco roto.

Já eram 16h e em “modo excursão” entramos dentro da nascente convictos que a progressão terminaria nos poços, pois no dia 29 Novembro a água começou a sair da nascente, mas não havia sinal da água, apenas umas pequenas poças.

Bom a rapaziada adorou visitar e nós fomo-nos equipar e verificar ate onde se podia avançar. Já equipados e com os poços descidos chegamos a Estação 1.23.

Local até onde de momento é possível avançar...

Local até onde de momento é possível avançar…

Vimos um fio de água que corre para um tramo que ali existe a esquerda (no sentido da progressão).

Fio de água que corre em direção da est.1.25.

Fio de água que corre em direção da est.1.25.

 

Olhamos em frente e verificamos um pouco mais a frente, estação 1.25 o 1º sifão encontra-se cheio de água.Registamos e regressamos. Desequipamo-nos e seguimos para Fátima onde nos esperava umas belas sandes de leitão. Mais tarde despedimo-nos e seguimos os nossos caminhos.

Dia 29

Alvorada as 9h e siga na direção de Serro Ventoso, onde nos encontramos com a Florbela e bruno. Cafezinho matinal e siga para o cabeço onde se situa o algar do Renhal.

 

A entrada.

A entrada.

Bom eram 10.30h e fazia um frio tocado a vento, hihihihihi, nem se sentia a ponta dos dedinhos, equipados começamos a descer. O algar já equipado, pois já a algum tempo que se está a trabalhar, e neste momento está a – 78m, a desobstrução.

Aspeto interior do Algar.

Aspeto interior do Algar.

Enquanto o André auxiliado pela Florbela e Bruno iam tratando da desobstrução, o Zé foi topografando os troços mais acima, que ao serem apertados e em poço, não era necessário mais ninguém para a tarefa. O trabalho foi avançando e entretanto chegou o Samuel que foi auxiliando o Zé, já na zona mais larga dos poços.

Trabalhinho....

Trabalhinho….

As 14.30h estavam as tarefas concluídas, iniciamos a subida, este algar tem vários fracionamentos e requer bastante atenção na progressão pois existem em algumas zonas blocos que apesarem de estarem bem arrumados com os sacos pendurados, todo o cuidado é pouco, coisas normais que fazem com que quem participe se vá tornando mais experiente.

Para cima....

Para cima….

As 16.30h estávamos todos no exterior e o frio ainda se fazia sentir, já a civil, hihihihihi, despedimo-nos com um até a próxima e seguimos para nossas casas.

Foi um fim-de-semana onde se produziu bastante e nos divertimos também, é sempre importante conhecermos malta nova com vontade e sobretudo trazer os mais pequenos, pois eles são o futuro….

Picatchu, Chouriço, André.

Planta, Algar do Caramulo.

Planta, Algar do Caramulo.

Projetado para A4, planta Algar do Caramulo:

algar do caramuloP

Projetado para A4, Perfil desdobrado Algar do Caramulo:

algar do caramuloS

Ficha de equipagem:

Ficha de equipagemAlgar do Caramulo

Geologia:

Geologia do algar do Caramulo e gruta da pedreira

Lapa da pedreira, Planta.

Gruta da pedreira,Planta.

Projetado para A4, Planta Gruta da pedreira:

Gruta da pedreiraP

Projetado para A4, Perfil desdobrado Gruta da pedreira:

Gruta da pedreiraS

A OBRA AVANÇA…………….

ABRAÇO

 

 

 

Anúncios

~ por josechourico em 18 / 06 / 2015.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: