A Trilogia da Contenda – Parte III – O regresso da chuva


Descida da chaminé da escalada Foto:L.costa

Eis-nos então chegados a Setembro de 2009, o clímax da campanha havia há sido atingido aquando do mergulho no poço terminal e o inicio da época das chuvas aproximava-se, porém houve ainda tempo para mais uma actividade e para tratar de  algumas pontas soltas.

Foi a 5 de Setembro que duas equipas entraram na Contenda com objectivos distintos. Uma foi para a galeria do sifão lateral desobstruir a zona terminal da galeria, que estava colmatada com areia, e  a outra foi continuar a escalada da chaminé que antecede o último lago.

As duas equipas conseguiram superar os objectivos a que se tinha proposto.

A bela de uma desobstrução na galeria lateral

A equipa da galeria do sifão lateral, à custa de carregar “kit bags” com areia e com um golpe de “sorte” de alguma escorrência de água, que se fez sentir na galeria,  conseguiu encontrar mais 15m de galeria que termina num sifão. Esta zona da galeria foi topografada. Como era ainda cedo a equipa resolveu ir “espreitar” o local de onde surge a recarga que fecha o 2º sifão que tantas dores de cabeça nos tinha dado durante a campanha. Após uma desobstrução em que se removeu sobretudo argila e uma pequena quantidade de rocha lá se consegui penetrar no interior da galeria, de onde vem a recarga, para se ter direito a uma banho de água, com cheirinho a esgoto, e descobrir uma galeria, de secção circular, aparentemente de origem freática,  com cerca de 0,3m de diâmetro, onde a progressão será para a grande maioria dos espeleólogos impossível.

O cadáver do morcego no topo da chaminé Foto: L.Costa

A equipa da chaminé consegui finalmente concluir a escalada. A chaminé tem assim 17m de altura e termina numa zona em “rampa” correspondendo a um manto estalagmítico, que se começou a subir a partir do 12m de altura. Recorde-se que esta escalada

Topografia Foto: L.Costa

havia sido iniciada no ano de 2007. Infelizmente não se conseguiu encontrar nenhuma ligação óbvia a outras galerias ou à superfície. Porém foi encontrado um esqueleto de um morcego no topo da chaminé, fica a questão de como terá ido ali parar, se bem que este animais têm uma capacidade fantástica de se orientarem no escuro, a verdade é que o percurso desde a boca da gruta até à chaminé é uma autêntica pista de obstáculos. Outro facto curioso foi termos encontrado vários pernos novos logo acima dos últimos que tínhamos cravado anteriormente…mistério.

O dia acabou, com já é hábito, em frente a um belo repasto.

A equipa de trabalho foi constituída por:  Pedro Robalo (NALGA/AES), Costinha (NEC), Marco Costa (NEUA), Paulo Rodrigues (NALGA/AES) e Rui Andrade (NEUA).

Progressão no 2º sifão Foto: L.Costa

Depois desta saída começaram as chuvas, que tornavam estas expedições num totoloto algo arriscado, no entanto a gruta ainda tinha algo para revelar. Durante o mês de Outubro outra equipa esteve de novo na gruta, desta vês para descobrir outras novas possibilidades de continuação. O que irá sair desses pequenos recantos escondidos?
Mas essa história ficará para outro dia.

Anúncios

~ por paulor2005 em 6 / 04 / 2010.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: