O Post esquecido – Actividade multiassociadas em São Bento


Algar Alecrineiros Norte

Algar Alecrineiros Norte

Apesar de anterior à criação oficial do Grupo de São Bento, foi esta a primeira actividade já imbuída do espírito deste grupo.  Esta actividade nasceu durante as Jornadas Científicas de Maio de 2008 e foi levada a cabo durante os dias 17 e 18 de Junho de 2008. Durante esta actividade realizaram-se uma série de trabalhos espeleológicos que resumimos de seguida:

– Conclusão da exploração do algar encontrado nas comemorações do 30º aniversário da AES e topografia da cavidade.

– Início dos trabalhos de desobstrução no Alecrineiros Norte.

– Remoção do bloco situado por cima do poço final do Chou Jorge. Este bloco, em equilíbrio precário, ameaçava há largos anos os espeleólogos mais incautos que se atrevessem a descer este poço.

– Topografia do poço terminal do Chou Jorge.

Os dois dias de actividade foram entremeados com um grande jantar e recheados  por um espírito de companheirismo que se estendeu ao longo de todo o fim de semana.  Este fim de semana foi uma prova do que se pode conseguir quando companheiros de uma mão cheia de diferentes associações trabalham em conjunto.

A actividade contou com os seguintes participantes: Paulo Rodrigues (NALGA/AES), Álvaro Jalles (AES), João Moutinho (Alto Relevo), Luís Meira (ECTV/AESDA), Margarida Jalles (AES), Beatriz Silva (Alto Relevo), Paulo Almeida (NALGA/AES), Mário Matos (AES), Ana Marta Calambra (AES), Raquel (Alto Relevo),  Capoa (ECTV), José Silva (Alto Relevo).

Espero ter-me lembrado de todos.

Ficam algumas fotos das cavidades visitadas.

Algar Chou Jorge - de notar, ao fundo, a camada de argila verde.

Algar Chou Jorge - de notar, ao fundo, a camada de argila verde.

Poço de acesso ao lago

Chou Jorge - Poço de acesso ao lago

O lago. Aqui estava seco, na altura da visita estava com bastante água.

O lago. Aqui estava seco, na altura da visita estava com bastante água.

O famoso corrimão. Como o lado estava cheio de água tivemos de o usar, porém este foi reforçado por um corrimão em corda e evitou-se durante a equipagem, o mais possível, utilizar o antigo corrimão.

O famoso corrimão. Como o lago estava cheio de água tivemos de usar o corrimão, porém este foi reforçado por um corrimão em corda e evitou-se durante a equipagem, o mais possível, utilizar o antigo corrimão.

Outro aspecto do corrimão. agora um pouco mais arrepiante

Outro aspecto do corrimão. agora um pouco mais arrepiante.

O bloco instável, à boca do poço terminal (antes de ser removido).

O bloco instável, à boca do poço terminal (antes de ser removido).

E fica mais um bocadinho da gruta

E fica mais um bocadinho da gruta.

Anúncios

~ por paulor2005 em 10 / 05 / 2009.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: