Génese do NALGA


O N.A.L.G.A. foi formado numa saída ao Algar da Arroteia. Marcou o meu regresso às grutas depois de um punho partido. Nessa saída levei a máquina fotográfica e acabei por escrever uma pequena reportagem.

Raramente há a possibilidade de documentar a génese dos nossos projectos. O N.A.L.G.A. é uma excepção!

Fica aqui a transcrição literal dessa reportagem:

“Finalmente voltei as grutas a sério. Já se tinha passado mais de um ano e estava cheio de saudades da lama, de estar alagado em suor, do cheiro a acetileno, dos companheiros.

Apesar de estar inicialmente prevista a exploração do Algar dos Alecrineiros, a meteorologia e a vontade levou-nos a visitar um clássico: o Algar da Arroteia! Para mim foi a primeira vez, mas adorei o poço de 45 metros logo na entrada e o meandro da esquerda, logo a seguir ao rio é um sonho.

Este grupo de dissidentes acabou por ser a génese de um novo núcleo espeleológico: Núcleo dos Amigos das Lapas, Grutas e Algares – N.A.L.G.A.

É claro que quando chegámos à gruta estava a chover e tivemos de trocar de roupa à chuva. É quase infalível. Entrámos no Algar um pouco depois das 13h e a superfície voltou a ver-nos já bem perto das 21h.

Como descrever uma gruta só por palavras é aborrecido para quem o faz e quem o lê, aqui vai a reportagem fotográfica.

As fotografias estão por ordem cronológica.

espeleologia01_01.jpg
Salamandra I (poço de entrada)

espeleologia01_02.jpg
Salamandra II (poço de entrada)

espeleologia01_03.jpg
Garanto que a corda chega! (poço de entrada)

espeleologia01_04.jpg
Os membros suspensos não têm direito a fotografia. (rio subterrâneo)

espeleologia01_05.jpg
Tens a certeza de que foi o meu telefone que tocou? (rio subterrâneo)

espeleologia01_06.jpg
A água está boa! (rio subterrâneo)

espeleologia01_07.jpg
Ele está lá em baixo. (topo da cascata)

espeleologia01_08.jpg
Se soubesse tinha trazido o sabonete. (cascata)

espeleologia01_09.jpg
Liguem o esquentador! (cascata)

espeleologia01_10.jpg
O membro suspenso e o membro molhado. (sala no final do meandro)

espeleologia01_11.jpg
O membro molhado e o membro bonito! (sala no final do meandro)

espeleologia01_12.jpg
O membro suspenso, literalmente! (entrada, neste caso saída)

Para os mais comichosos, reparem na fabulosa amarração. É o mais puro SRT que poderão encontrar neste lado do mundo.

Tenho de arranjar uma máquina menos delicada para fazer a reportagem dos locais mais apertados. E já agora pôr o flash remoto (que aparece nas mãos de vários) a funcionar convenientemente.”

Anúncios

~ por Afonso Loureiro em 18 / 11 / 2006.

3 Respostas to “Génese do NALGA”

  1. Garanto que a corda chega… ou não! O mais puro SRT!!!

  2. Depois de muito procurar… finalmente sei o que é um SRT !!!
    Weeeeeeeeeeeeeeeeeee

  3. Hoje, dia 25-08-2007 estive na Arroteia com mais 2 colegas da Sapiens Tomar. Seca, muito seca. Gostei de ver Link do N site.
    Vou anexar Link do V. nos meus Blogs
    Abraço Espeleológico

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: